Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Biblioteca Escolar

Agrupamento de Escolas - Sever do Vouga. Espaço interativo, dinâmico. Facteur de réussite. The school library equips students with life-long learning skills and develops the imagination, enabling them to live as responsible citizens.

Biblioteca Escolar

Agrupamento de Escolas - Sever do Vouga. Espaço interativo, dinâmico. Facteur de réussite. The school library equips students with life-long learning skills and develops the imagination, enabling them to live as responsible citizens.

Sonhar para além do impossível

Há livros, filmes e musicas que são intemporais. São de sempre e para sempre.

No contexto da pandemia que estamos a viver e as limitações que nos é dado respeitar, lembro um filme e uma música que podem ajudar a passar melhor as horas de confinamento.

Trata-se do Feiticeiro de Ozfilme baseado na obra de Frank Baum publicada no início do século XX, um romance infantil mas de grande alcance.

O filme, de 1939, conta com a participação de Judy Garland e foi indicado para 6 Óscares. Venceu apenas 2 e, um deles, é precisamente o de melhor canção original. Uma canção cuja letra permite sonhar para além do impossível.

É um cover dessa canção que aqui recordamos, na mestria de Eric Clapton: Somewhere over the rainbow.

 

Música da semana

Onde jogarão as crianças?
É o título de uma canção do grupo Maná, banda rock muito popular na América Latina.
Esta música faz parte do álbum ¿Dónde Jugarán los Niños? editado em 1992, o segundo da banda.
É uma letra que apela ao sentido ecológico da vida, cuidar desta casa que é de todos, a casa comum que a todos compete tratar.
A versão deste video é de 2008 de um espetáculo ao vivo.



Para quem quiser olhar a letra com mais atenção, aqui fica o texto... em castelhano

Cuenta el abuelo queDe niño el jugóEntre árboles y risasY alcatraces de colorRecuerda un ríoTransparente sin olor Donde abundaban pecesNo sufrían ni un dolorCuenta el abuelo De un cielo muy azulEn donde voló papelotesQue él Mismo construyóEl tiempo pasó yNuestro viejo ya murióY hoy me preguntéDespués de tanta destrucción
Dónde diablos jugarán los pobres niños?Ay ay ay!En dónde jugarán?
Se esta pudiendo el mundoYa no hay lugar

La tierra está a puntoDe partirse en dosEl cielo ya se ha rotoYa se ha roto el llanto grisLa mar vomita ríos de aceite sin cesarY hoy me preguntéDespués de tanta destrucción
Dónde diablos jugarán los pobres niños?Ay ay ay!En dónde jugarán?Se esta pudiendo el mundoYa no hay lugar
Dónde diablos jugarán los pobres nenes?Ay, ay ay!En dónde jugarán?Se esta partiendo el mundoYa no hay lugar?

Musica da Semana

Estamos na semana em que uma grande parte da população (crentes e não crentes) recordam os seus familiares e amigos defuntos. Quando morre alguém costuma-se dedicar-lhe uma música, no passado conhecida por Requiem, palavra latina que significa "descanso". Na história da música conhecemos encontramos famosas criações musicais deste estilo: Mozart, Brahms, Berlioz e Verdi. 
Com as devidas diferenças, deixo aqui uma música de despedida e de agradecimento composta por Ritchie Blackmore e dedicada ao seu amigo John Lord. Em comum têm o facto de terem pertencido à melhor formação dos Deep Purple e serem os autores das melhores composições de uma das melhores bandas rock da história.
A musica, dedicada John Lord, teclista dos Deep Purple, falecido em 2012, intitulada Carry On Jon, é um belo solo de guitarra elétrica, como só Blackmore poderia tocar. O solo de órgão Hammond, a partir do minuto 4:09 pretende ser uma recuperação do estilo de John Lord tocar.




Música da Semana

Para aqueles que ainda recordam as máquinas de escrever, aqui fica um excerto do concerto Vozes para a Paz" (Músicos Solidários), realizado no Auditório Nacional de Música de Madri (Espanha), em 12 de junho de 2011.
Esta peça musical foi escrita pelo compositor americano Leroy Anderson (1908-1975).
O "solista" é Alfredo Anaya.

Música da semana

A cada semana uma música para ajudar a pensar.

Hoje damos a conhecer também um movimento muito interessante, o Playing for Change.



Playing For Change é um movimento criado para inspirar e ligar o mundo através da música, partindo da convicção de que a música tem o poder de quebrar fronteiras e superar distâncias entre as pessoas.

Playing For Change nasceu em 2002 como uma visão compartilhada entre os co-fundadores, Mark Johnson e Whitney Kroenke, para percorrer as ruas da América com um estúdio móvel de gravação e câmaras em busca de inspiração. Esta viagem musical resultou no documentário premiado, "A Descoberta Cinematic de músicos da rua".

Para conhecer melhor este movimento fica aqui a ligação.

E esta semana fica "What a Wonderful World", uma canção escrita por Bob Thiele e George David Weiss e gravada por Louis Armstrong em 1967 como alternativa ao clima de racismo e violência que se vivia nos Estados Unidos, chamando a atenção para as coisas simples e belas do dia-à-dia.
Eis uma versão interessante deste hino por um mundo melhor.